domingo, 28 de fevereiro de 2010

Bem Vindo


Entre

Sente-se aos pés da lareira e saboreie meu vinho

Abro as portas ao seu ser, seu amor, sua dor

Bem vindos seus pecados, suas glórias e desepesperos

Que adentrem suas alegrias, disfarces e lágrimas.

Venha com o que for seu, com o que foi seu.

Deixe-se cair nas almofadas que lhe aponto e não se incomodese tristezas cairem do seu bolso.

Sinta-se livre e dispa-se do que lhe pesa...a culpa e ódioque carrega, curvam seus ombros.

Banhe-se nas águas perfumadas dos sonhos que lhe trago e a lama do desagrado se desfará em minuto.

Respire. O aroma desta casa lhe dará novos animos, aroma de chuva,noite e floresta.

Sente-se à mesa e alimente-se de coragem, confiança e força.

Na janela embaçada desenhe o seu futuro...aproveite e observe a lua que lhe sorri e ilumina o céu de infinitas possibilidades.

Sinta-se pleno...acolhido.

Sinta que estou aqui.
Marília M.

2 comentários:

Alterego disse...

Senti-me acolhido, como se estivesses falando comigo!
Palavras leves, mas fortes como um bom abraço...

~ N.O.iT.e ~ ;-) disse...

=)